6 de nov de 2016

PLANEJAMENTO DE OBRA



Você já teve dúvidas sobre a ordem dos serviços durante uma obra? Creio que sim.
O planejamento de uma obra é fundamental para evitar stress e prejuízos, pois erros em obras acarretam em perdas que por vezes podem ser pesadas ao bolso.
E por mais que tenha planejamento haverão imprevistos, imagine se não tiver e tudo for feito no achismo.
sequência dos serviços em uma obra é uma das maiores dúvidas que os profissionais têm na hora de ir para o canteiro. Mas um detalhe que poucos profissionais percebem é que entender a ordem dos serviços na obra melhora inclusive a qualidade dos seus projetos! Então exija que o mestre de obras siga o cronograma e não pule etapas, mesmo sendo uma reforma, que é uma modalidade de obra das mais complexas.
Afinal, cada etapa depende de uma etapa anterior para ser realizada corretamente e quando isso é pensado desde o projeto, o desempenho da obra é excepcionalmente melhor!

Resultado de imagem para fotos de obras
Veja algumas dicas:
  • A importância dos projetos para o planejamento da obra. Sendo assim é importante que se tenha todos os projetos básicos - estrutural, arquitetônico, hidro-sanitário e elétrico;
OBS.: É super importante também que os projetos estejam COMPATIBILIZADOS entre si! 

  • Monte um cronograma de obra, sendo que obra nova e reforma devem ser tratadas de forma diferenciada;
  • E lembre-se que cronograma é uma das ferramentas mais importantes do planejamento;
  • Qual seria uma ordem ideal para sequência dos serviços em uma obra?
  1. Estude os projetos, veja todos os itens;
  2. Monte o cronograma em uma planilha que deve estar descrito de maneira claracom início, meio e fim de cada etapa;
  3. Pergunte ao mestre de obras os prazos de cada etapa, bem como aos fornecedores sobre prazos de entrega;
  4. Considere os imprevistos como problemas com o solo, faltas de funcionários, chuvas, atrasos com alguma entrega;
  5. Depois da planilha montada e materiais orçados é hora de inciar a obra;
  6. Aí vem a fase de locação da obra, conferência de medidas, montagem de depósito;
E no momento que a obra inicia é preciso seguir a ordem de execução da estrutura,alvenaria, elétrica, esgoto. Enfim não é possível instalar o granito no piso antes de concluir o reboco por exemplo.
Mas daí você pensa, ninguém faria isso? Mas por incrível que pareça, fazem.
Cansei de ir em obras com a colocação de piso sendo feita no mesmo tempo em que ainda estavam fazendo cortes para passagem da mangueiras corrugadas.




Então se você é cliente exija profissionais que conheçam o dia a dia de uma obra. 
E você profissional, engenheiro, arquiteto ou mestre de obras. Coordene, planeje e exija que seja seguido ao "pé da letra".

Boa obra.





2 de nov de 2016

VINTAGE EM ESPAÇOS COMERCIAIS

O estilo vintage está em voga inclusive na decoração de estabelecimentos comerciais, que buscam esse diferencial para atrair os clientes.
Ganhando cada vez mais espaço também nas decorações de estabelecimentos comerciais, o estilo vintage está se tornando tendência entre os empreendimentos atuais. Carregado de personalidade, o vintage utiliza peças autênticas e cheias de história em sua composição.
De acordo com a arquiteta e designer de interiores Simone Rocha, a incorporação deste estilo no comércio vem acontecendo por causa da real necessidade do empresário de se diferenciar dos demais concorrentes no setor, dando maior destaque e valor agregado à sua marca. "Outro ponto importante neste sentido é a tendência mundial de personalização e valorização do que é único, resistente e duradouro. Podemos perceber este comportamento não só no mundo da arquitetura, mas também na moda, nas artes e até mesmo na culinária. Em um mundo onde o que é padronizado perde cada vez mais espaço para o singular, as peças mantidas através de gerações ganham importantes destaques", explica.
Simone analisa que, para se ter um estabelecimento com essa pegada vintage é preciso que o empreendedor esteja atento, por exemplo, ao tamanho dos móveis em comparação ao tamanho da loja e saber mesclar bem os estilos. "Peças vintage costumam ter dimensões mais avantajadas e visual mais 'pesado' e, por isso, devem ser escolhidas a dedo para não deixar o ambiente entulhado. É importante mesclar alguns elementos mais modernos ao estilo vintage para que o estabelecimento não fique com aspecto de 'cenário antigo' e para realmente valorizar as peças. Essa mescla pode ser feita por meio da iluminação, dos revestimentos e até mesmo dos adornos", destaca.
Para a arquiteta Estela Netto, o mobiliário é um fator importante nesse quesito, pois os móveis traduzem bem a pegada vintage que o estabelecimento quer proporcionar aos seus clientes. Em um de seus projetos, uma barbearia, Estela mostra como apresentar este estilo aos seus clientes.
"Colocamos muitas coisas de visual merchandising na decoração, como quadrinhos, gravuras, objetos de decoração mais temáticos. A barbearia tem, muito forte, esta identidade com a estética mais vintage, ela em si, já tem as cadeiras de barbeiro e essa parte de visual merchandising e adornos de ambientação", conta.
Estela Netto acredita que existe essa grande demanda pelo estilo vintage nos dias de hoje porque existe uma tendência do ser humano de olhar para o nosso passado. "Acho que o homem precisa revisitar muitas vezes as suas memórias para compreender quem ele é e se projetar no futuro. Isso também acontece com a arquitetura e a decoração. O estilo vintage tem um olhar voltado a outras épocas do design e traz à tona os clássicos que ficaram marcados ou foram ícones de outros tempos. Acredito que este estilo foi muito bem aceito do ponto de vista da arquitetura do varejo, comercial e outros serviços, como o caso da barbearia, pois há identificação", avalia.
Simone Rocha também ressalta a questão da personalidade. Para ela, a presença deste estilo nos dias de hoje se dá pela autenticidade, pela tradição, valores e, também, de ser destaque. "Todo projeto vintage parte do princípio que será um ambiente autêntico, exclusivo e diferenciado. Fugir do padrão, apostar em novas tendências e incluir objetos irreverentes são algumas marcas do estilo e que devem ser seguidas. As peças de estilo vintage são carregadas de sentimentos e trazem consigo uma série de valores e referências, como a tradição, nostalgia, individualidade, romantismo, artesanal e delicadeza", descreve.
As profissionais finalizam lembrando que o mais importante para o comerciante é verificar se o estilo dialoga com a marca e com o tipo de produto comercializado. Para uma loja que vende produtos tecnológicos e hi-tech, por exemplo, o estilo vintage não é o mais adequado, pois não há interface entre a estética e o negócio.

Matéria publicada no site terra.
https://noticias.terra.com.br/dino/espacos-comerciais-se-rendem-ao-vintage-para-atingir-em-cheio-o-coracao-dos-consumidores,e36fe23a913ca8448f830b8b486430aa3rxunmdz.html